Alô alô, poetas!

De tempos em tempos, ressurge a discussão sobre literatura e internet. De um lado, um conservadorismo de papelaria, apoiando-se em “durabilidade”; de outro, o relacionamento autor-leitor quase imediato, o ininterrupto contato com outros autores e, ainda, a facilidade em publicar textos (e mais: áudio e vídeo).

Resolvi colocar minha colher neste ponto, porque tenho algumas observações (quase proféticas). Apesar de não apoiar nem um nem outro lado. É claro que todo autor tem a intenção de ver sua obra publicada em livro. É um costume secular; aprendemos a ler com livros, estudamos com apostilas e tudo mais. Ainda não creio que o livro está perto de seu fim. Ao contrário, acredito que todos lêem mais. O que, creio, vai acabar – em formato de livro – é o texto técnico. Bom, se o livro vai continuar, por que, então, blogs?

Os blogs serão cada vez mais utilizados em duas áreas: jornalismo e literatura. Os jornalistas já se adaptaram essa ferramenta e utilizam até como uma alternativa da grande mídia. Os escritores, nem tanto. É fato que quem gosta de literatura também tem uma certa habilidade para silabar “necrolatria”. Talvez por isso exista essa tendência neofóbica. Se não descartarmos a possibilidade de abandonarem os blogs e voltarem para o lápis e papel e confiná-los (os textos) em gavetas, teremos algumas indagações no áspecto literário:

  1. os textos ficarão menores, pois com a escassez de tempo do leitor, não é interessante desenvolver uma história ocupando meio layout do blog. E aí (me) surge uma questão: o tamanho do texto determina sua qualidade? Talvez não, porque tenho dois exemplos que cumprem bem o papel de agilidade e qualidade: Filipe e Patrícia. No entanto, como classificar esses gêneros?
  2. a “durabilidade” de um texto, poema etc., será comprometida? Esse é um ponto que não afeta os blogs jornalísticos, pois informação de ontem ninguém está a fim, principalmente quando temos internet disponível e uma enxurrada de notícias a todo minuto;
  3. o texto têm a mesma atenção dedicada àqueles que não são destinados à internet? Um blog precisa de atualizações e nem sempre um escritor está inspirado, nem sempre dispõe do tempo dedicado para “amadurecer” o texto – que, digamos, esse tempo de amadurecimento não está inscrito no nosso tempo cronológico, é algo mais místico e poético. Manter um blog exige, sim, uma disposição de idéias quase como uma arquitetura de mundo, onde tudo tem de virar poesia, e rápido.

Ou não, né?

Anúncios

4 Responses to “Alô alô, poetas!”


  1. 1 Bia Cardoso abril 5, 2008 às 1:22 am

    Muito se fala sobre o fim do papel, mas acredito que por conta de nossa natureza concreta ele ainda perdurará por um bom tempo. As novas gerações talvez o eliminem por terem uma visão mais abstrata do mundo.

    Agora é uma pena que mesmo na Internet a poesia tenha um caminho de pouca difusão. É realmente uma questão: “por que será que a poesia não é um produto das massas, sendo que a música é?”

    Quanto a suas questões, manter um blog não é nada fácil. Por mais que você seja bom escritor os leitores querem atualizações, na contramão disso, as pessoas tem pouco tempo para ler, então os textos precisam ser curtos. Parece tudo um tanto quanto confuso e o texto na internet perde muito do seu caráter atemporal. e sempre cabe a pergunta, escreve-se para quem?

    E querido, como assim você não conseguia seguir os links? E você copiou o comentário do Zé e colou no seu? Não entendi.

  2. 2 Filipe abril 6, 2008 às 2:23 am

    Rapaz, talvez a poesia seja a arte escrita que faz a conexão artista-leitor de forma mais rápida… só que os poetas ainda não se deram conta disso, infelizmente. Não desdenhando os romances e novelas, mas a poesia em sua concisão, seria o tipo literário perfeito para o imediatismo da internet e sua velocidade de informação. E, como você disse, eu procuro tentar condensar minha idéias em poucas linhas para não distorcer a estética do blog e tornar a leitura menos enfadonha – e também para não perder os fios da minha meada… E agradeço a menção, fico lisonjeado.

  3. 3 Patricia abril 10, 2008 às 8:45 pm

    Sempre escrevi pequeno hehe
    É difícil pra mim escrever grande.
    Pra mim é impressionante ver como a literatura vem sendo excluída da discussão sobre blogs em todos os meios. Até o pessoal que fala sobre manifestações culturais na rede não tá interessado na literatura.
    Suspeito.

  4. 4 Pollyanna Reis julho 20, 2009 às 10:15 pm

    Muito se fala sobre isso mesmo. Acredito que não haverá o fim do papel, dos clássicos livros. E que, com certeza, os textos pela in ternet só têm a crescer.
    E por que não? Podemos conviver com os dois sem problema algum!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Burguesia

Híbrido espanto: poemas, contos, comentários e de vez em quando ciências sociais.

Calendário

abril 2008
S T Q Q S S D
« mar   maio »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Páginas


%d blogueiros gostam disto: