Outono #1

Há outono em mim e sinto frio. Acordo: começo a me mover pela cama, resvalando nos cobertores, como se buscasse nela um outro mundo: é pequena, mal cabe meu corpo. É tão pequena que infinitamente se desdobra, alcaçando proporções inimagináveis, pedaços de eternidade, liquidez.

Eu carrego terremotos nos bolsos. Tenho nas mãos o peso das estações, o barulho da cidade, os rios de minha aldeia. Tenho nas mãos versos de Pessoa, uns avessos de mim.

E hoje sou outono. Amanhã, outros.

Anúncios

1 Response to “Outono #1”


  1. 1 Daniela Borali abril 11, 2010 às 4:54 am

    Tranquiliza-me saber que acorda! E que ainda escreve palavras tão cheias de significados.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Burguesia

Híbrido espanto: poemas, contos, comentários e de vez em quando ciências sociais.

Calendário

abril 2010
S T Q Q S S D
« ago   maio »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Páginas


%d blogueiros gostam disto: